Campus da UFS será inaugurado nesta segunda-feira (21) em Lagarto

A comunidade acadêmica da Universidade Federal de Sergipe (UFS) em Lagarto está de casa nova. Será inaugurada no próximo dia 21, segunda-feira, a sede definitiva do Campus da cidade. A solenidade acontecerá no prédio da Vivência, às 10h, e contará com a presença de servidores docentes e técnico-administrativos, estudantes, gestores da Universidade, autoridades e comunidade local. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o governador Jackson Barreto também confirmaram presença no evento.

Em funcionamento desde o mês de setembro, a sede está localizada ao lado da Rodovia Antônio Martins de Menezes, na saída para Aracaju. O acesso ao Campus se dá pela Avenida Governador Marcelo Déda, recém-construída.

O Campus Professor Antônio Garcia Filho levou ao interior da região Nordeste uma avançada estrutura para o ensino universitário, reunindo oito especialidades da área de saúde, com uma proposta pedagógica inovadora.

A implantação do Campus de Lagarto se tornou possível e necessária com a instalação, em 2010, do Hospital Regional de Lagarto (HRL). Criado para atender a cerca de 250 mil habitantes da microrregião, o Hospital tanto estimulou a ida de profissionais da saúde para a cidade, quanto passou a exigir a formação de nova mão-de-obra qualificada.

O HRL, doado pelo governo estadual à UFS no final de 2014, está sendo transformado em Hospital Universitário. A transferência de sua gestão para a Universidade está em processo de transição.

Para Angelo Roberto Antoniolli, reitor da UFS, é notável a mudança em Lagarto e regiões circunvizinhas após a instalação do campus. “Temos conseguido inovar em diversos aspectos, integrando os nossos estudantes e pesquisadores à comunidade, modificando as relações no processo de assistência de saúde, fortalecendo a universidade enquanto agente de transformação social. Desafios existem, mas contamos com uma grande rede de parcerias para obtermos avanços e sedimentar as conquistas no interior do estado”, avalia.

A construção da nova sede do Campus de Lagarto foi financiada com recursos do Ministério da Educação, através da UFS, com apoio do Governo do Estado, tanto no custeio da obra quando na doação do terreno. Enquanto se deu a edificação da estrutura, o Campus funcionou provisoriamente em um prédio também cedido pelo Governo do Estado.

A criação

No dia 12 de junho de 2009, o governo federal, por intermédio do Ministério da Educação, o Governo do Estado de Sergipe e a Universidade Federal de Sergipe firmaram um protocolo de intenções objetivando a instalação de um Campus da UFS no município de Lagarto, com a implantação oito cursos de graduação na área de saúde.

Coube à UFS a elaboração da estrutura pedagógica para a criação e o funcionamento dos cursos previstos, a responsabilidade pelo Projeto Estrutural, com vistas a definir as condições necessárias para a instalação, implantação e funcionamento dos cursos – englobando recursos humanos, área física, material científico-pedagógico -, e a realização do processo vestibular para o ingresso dos alunos.

O Governo do Estado de Sergipe contribuiu com a doação do terreno para a construção do novo Campus, a disponibilização da sede provisória e a alocação de recursos para a construção de imóveis, obras e serviços de infraestrutura, aquisição de equipamentos, entre outros. Além disso, juntamente com a Prefeitura Municipal de Lagarto, disponibiliza toda a rede de assistência em saúde vinculada ao SUS para a prática de atividades.

Com a autorização de instalação do novo Campus, foram criadas novas oportunidades de trabalho, sendo realizados concursos públicos para professores e técnico-administrativos, no intuito de atender à nova demanda, até então não existente.

Nova abordagem de ensino

Os novos projetos pedagógicos apresentados têm um aspecto inovador: são estruturados a partir da Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) e Metodologias Ativas de Ensino.

No Brasil, o modelo de Aprendizagem Baseado em Problemas (ABP), também conhecido como PBL (do inglês Problem Based Learning), tem sido o modelo adotado em diversas escolas médicas e outros cursos da área de saúde.

No ensino tradicional, o professor, através de aulas habitualmente expositivas, é o grande responsável por fornecer o conteúdo a ser aprendido. Embora ele possa apresentar ou formular problemas para serem resolvidos com o conteúdo dado, o método ABP/PBL é mais amplo. Em ABP/PBL, diferentemente, o estudante é intelectualmente provocado e inicia suas buscas a partir da situação, problema ou cenário apresentado. O papel do professor é auxiliar nessas buscas e nas discussões do grupo tutorial, age como um motivador. A preocupação é ensinar a aprender.

Os cursos de graduação nos quais se faz uso de ABP são estruturados preferencialmente em turmas pequenas, com um tutor e número reduzido de alunos. As aulas convencionais, com grandes turmas, são substituídas por sessões tutorais nas quais o conhecimento, habilidades e competências são aprendidos através de situações-problema, em ciclos de durações variáveis, habitualmente de uma semana, desenvolvidos com situações reais, situações construídas “simuladas” e através de laboratórios de práticas.

Neste modelo de currículo, o conteúdo das disciplinas básicas é distribuído durante todo curso, sendo aprendido de forma integrada durante o desenvolvimento das competências. Um passo além está sendo dado, quando se propõe estratégias de aprendizado não mais exclusivas ao curso de medicina, mas também para outros profissionais de saúde, que aprenderão de forma integrada e compartilhando cenários.

A metodologia utilizada, a multiplicidade de cenários de aprendizado e a utilização de situações diretamente ligadas à realidade em que se insere, aproximará a escola da comunidade e permitirá uma melhor compreensão dos aspectos sociais por parte do profissional formado nesta realidade.

Estrutura

Desde o segundo semestre de 2015, o Campus de Lagarto está instalado em sua sede definitiva. Hoje, a sede dispõe de três prédios construídos e em funcionamento: a Biblioteca, a Vivência Estudantil e o Departamental.

Na Biblioteca e na Vivência Estudantil, que juntos ocupam uma área de mais de oito mil metros quadrados, foram investidos mais de dez milhões de reais. Já no prédio Departamental, construído em uma área aproximada de sete mil metros quadrados, com um investimento de quase dez milhões de reais, estão instalados laboratórios, auditório com capacidade para mil pessoas e o departamento administrativo. No espaço estão funcionando também, temporariamente, as salas de aula tutoriais.

O Centro de Simulações e Práticas, maior construção da nova sede, com 9.922,74 m², tem sua conclusão prevista para o decorrer de 2016. A estrutura, na qual foi investido um valor de 20,5 milhões de reais, dará mais eficácia às práticas dos diversos cursos do Campus.

Outra obra em andamento na sede é o Laboratório Multiusuário, construído em uma edificação de módulos integrados, que vai reforçar a prática clínica dos cursos de Farmácia, Nutrição e Odontologia. Um investimento de 4,5 milhões de reais em um espaço de quase dois mil metros quadrados. A conclusão da obra está prevista para o início de 2016.

Além das estruturas laboratoriais próprias, o Campus tem ainda, como suporte, através de parceria com o Governo do Estado de Sergipe e a Prefeitura Municipal de Lagarto: o Centro de Especialidade Médica, o Centro de Especialidade Odontológica, as Clínicas de Saúde da Família, a Farmácia Popular, a estrutura do SAMU, o Centro de Reabilitação (na cidade de Simão Dias), a Clínica e Tutoriais em Fonoaudiologia, os espaços Tutoriais em Terapia Ocupacional e em Nutrição e o Hospital Regional de Lagarto.

Telemedicina

Desde 2013, a Universidade Federal de Sergipe conduz uma parceria com a empresa norte-americana Cisco Systems, em um projeto-piloto de telemedicina – atendimento médico via telepresença -, que visa à aproximação entre profissionais da saúde das cidades de Lagarto e Tobias Barreto e especialistas do Hospital Universitário da UFS, em Aracaju.

As Clínicas de Saúde da Família das duas cidades são conectadas a hospitais e especialistas do Hospital Universitário de Aracaju. A meta é melhorar o acesso ao atendimento especializado e a qualidade no serviço e na vida das crianças e de suas famílias.

O recurso da telepresença também pode ser utilizado em treinamentos e ainda para apresentação de projetos de alunos de cursos de medicina da Universidade, por exemplo. A colaboração pode aumentar o conhecimento e o treinamento de equipes de assistência locais e facilitar o acesso ao conteúdo científico disponíveis em centros de excelência. Já para as equipes médicas locais, a atuação de forma colaborativa com especialistas poderá aumentar a capacidade de intervenção e melhorar o processo de tomada de decisões.

O projeto faz parte do programa global de responsabilidade social da Cisco “ConnectedHealthyChildren” e combina os esforços da UFS, instituição reconhecida pela excelência em Ciências Médicas, e dos prestadores de assistência médica nos municípios envolvidos. Conta com o apoio também da Secretaria de Estado da Saúde, Ministério da Saúde e das Prefeituras das cidades de Tobias Barreto e Lagarto.

Fotos: Adilson Andrade (Ascom/UFS)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s